Blog

Alambique Pedro Alemão

A cachaça e a consertada da Costa Esmeralda

A região da Costa Esmeralda é conhecida nacionalmente por sua rica diversidade cultural e ambiental. As belezas naturais de Bombinhas, Porto Belo e Itapema são muito bem complementadas com opções culturais muito atraentes. E hoje vamos falar sobre uma delas: a cachaça e a consertada!

Prateleiras recheadas de especialidades catarinenses. (Foto: Costa Verde & Mar)

 

Cachaça

A cachaça despensa apresentações. A bebida, que é obtida através da destilação do caldo de cana, já é mundialmente conhecida e faz parte da cultura e tradição brasileira. Popular em todo o país, conta com diferentes peculiaridades em cada região, e não é diferente na Costa Esmeralda.

Em Porto Belo, município vizinho e caminho para Bombinhas, está localizado um dos mais tradicionais e conhecidos alambiques da região. Em operação desde 1967, o Alambique Pedro Alemão é um exemplo de tradição familiar e gosto pela iguaria brasileira.

Alambique Pedro Alemão (Foto: Vice Brasil)

A cachaça produzida na localidade é o ponto forte da atração, que atrai visitantes de todo o estado. Além disso, estão expostos para degustação e compra diversos sabores de licor e melado de cana.

Um pouco de cultura: o alambique foi fundado por Pedro Alemão Richartz, que chegou em Porto Belo em 1963, vindo de Biguaçu, com sua mulher e os dois filhos. Começou a plantação da cana de açúcar dois anos depois, em 1965, e em 1967 começou a operação do empreendimento. Pedro contava com a ajuda de seus dois filhos, com 10 e 11 anos na época. O maquinário era movido por tração animal, substituído em seguida por óleo disel e atualmente motor elétrico. Pedro Alemão faleceu em 2004, e hoje é operado por um de seus filhos, que seguiu as tradições do pai.

O alambique fica localizado na rua José Neuli Cruz, antiga estrada geral do Alto Perequê, na cidade de Porto Belo, vizinha a Bombinhas.

 

Consertada

A consertada é uma bebida feita a base de café e especiarias, considerada patrimônio imaterial bombinense. A iguaria não existe em nenhum outro lugar do Brasil e no seu preparo, além do café, é usado erva doce, cravo, canela, gengibre, açúcar e, claro, cachaça.

Um pouco de cultura: a consertada era preparada pelas donas de casa bombinenses, conhecidas como consertadeiras, principalmente nas épocas de festa. Era oferecida para os visitantes em comemorações como o Terno de Reis e o Boi de Mamão. O café utilizado para o preparo da consertada era o que sobrava do consumo familiar.

Ficou curioso? Confira o vídeo produzido pela Revista Vice, da consertadeira Dona Salete.

A iguaria é oferecida em alguns dos principais bares e restaurantes da cidade, além de poder ser comprada engarrafada em lojas do gênero, como o Alambique Pedro Alemão, citado aqui anteriormente.

 

Pra você, que é fã de uma boa cachacinha ou gosta de ter novas experiências, essa é a oportunidade perfeita. Venha conhecer.

Comente

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *